ANÁLISE DO USO DE ESTEREÓTIPOS A PARTIR DAS CAMPANHAS DA MARCA SKOL

Victor Reis Mazzei, Agatha Sabanelli Becelli, Gabriela Pulino Melatte

Resumo


Este artigo discute o posicionamento adotado pela marca de cerveja Skol durante o
período de 2014 a 2017. O principal critério de análise das campanhas selecionados
no período foi a utilização de estereótipos - sobretudo os femininos. A partir de um
levantamento bibliográfico e de caráter exploratório, buscamos fontes que mostraram o processo de construção da marca até o momento em que a repercussão negativa de uma campanha levou a Skol a repensar seu posicionamento. Para a construção desse trabalho, utilizamos obras das autoras Marília Gaf (2003), Dylia Lysardo Dias (2007) e Elizabeth Gonçalves (2006) como principais referenciais teóricos.


Texto completo:

PDF

Referências


BARRETO, M.; E FACIN, T.; SILVA, D. Publicidade: a Fada madrinha da realidade. 2006.

Intercom Sudeste – XI Simpósio de Ciências da Comunicação na Região Sudeste. 22 a 24 de

maio. Ribeirão Preto, São Paulo.

DIAS, D. L. Passando dos limites? Mídia e transgressão: casos brasileiros. 2007. Disponível

em: < http://www.lai.su.se/polopoly_fs/1.135154.1368786310!/ menu / standard/file/SRoLAS_

No2_2007.pdf> Acesso em: 11 maio 2017.

CARVALHO, Nelly de. Publicidade, a linguagem da Sedução. São Paulo: Ática, 1996.

F/NAZCA. Campanha “Estereótipos”. 2017. Disponível em: < http://www.fnazca. com.br/

index.php/2017/06/14/quem-e-essa-pessoa/>. Acesso em: 11 nov. 2017.

F/NAZCA. Campanha “Saia” da Skol. 2017. Disponível em: < http://www.fnazca.com.br/

index.php/2017/10/26/saia/ >. Acesso em: 11 nov. 2017.

F/NAZCA. Campanha “Normal é Legal” da Skol. 2016. Disponível em: < http://www.

fnazca.com.br/index.php/2016/12/26/normal-e-legal/>. Acesso em: 11 nov. 2017.

F/NAZCA. Campanha “Viva a Diferença” da Skol. 2017. Disponível em: < http://www.

fnazca.com.br/index.php/2017/01/19/viva-a-diferenca/>. Acesso em: 11 nov. 2017.

FREITAS, S. A mulher e seus estereótipos: comparando 50 anos de publicidade televisiva

no Brasil e Portugal. Portugal. 2014. Disponível em: < http://www.ec.ubi. pt/ec/16/pdf/EC16-

Jun-06.pdf > Acesso em: 08 maio 2017.

GONÇALVES, E. M. Propaganda e linguagem: análise e evolução. São Bernardo do Campo:

UMESP, 2006.

GRAF, M. Propaganda de lá para cá. São Paulo: Ibrasa, 2005.

MEDIUM BRASIL. Campanha de carnaval da Skol. 2015. Disponível em: < https://medium.

com/medium-brasil/liberdade-de-express%C3%A3o-no-carnaval-8f87d96da7f4 >. Acesso em:

nov. 2017.

MEDIUM BRASIL. Intervenção na Campanha de Carnaval da Skol. 2015. Disponível

em: < https://medium.com/medium-brasil/liberdade-de-express % C3%A3o-no-carnaval-

f87d96da7f4 >. Acesso em: 11 nov. 2017.

PEREIRA, M. E. A psicologia social dos estereótipos. São Paulo: EPU, 2002.

ROUSSELET, F. Comercial traz discussão sobre a imagem da mulher na publicidade. Portal

Fórum, 2013. Disponível em: < http://www.revistaforum.com. br/blog/2013/04/comercialtraz-

discussao-sobre- aimagem-da-mulher-na-publicidade/ >. Acesso em: 06/10/2017.

SARAMÃO, Liliany Alves. A mulher como embalagem do sistema: representações do corpo

feminino pela publicidade. 2008. 130 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Comunicação,

Centro de Educação e Humanidades, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro,

SITE REPOSTER. Cartazes da campanha “Reposter”. 2017. Disponível em: < http://www.

skol.com.br/reposter/#home > Acesso: 11/11/2107.

TORRECILHA, J. C. A Mídia e as mensagens de gênero, de contornos sexistas, veiculadas por

alguns anúncios publicitários. Revista do Audiovisual Sala 206, Vitória, n. 5, jan./jul. 2016.

YOUTUBE. Campanha “Aperte o ON” da Skol. 2014. Disponível em: < https://www.

youtube.com/watch?v=1oxiYLJ6RuY >. Acesso em: 10 nov. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.