ANÁLISE DAS VARIÁVEIS QUE CONTRIBUEM PARA A FORMAÇÃO DO ESTUDANTE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

Michael Samir Dalfovo, Claudiane Jesus Pereira, Ana Cláudia Knoll Zoschke, Eumar Francisco da Silva

Resumo


Esse estudo se propõe a analisar variáveis de possam contribuir na formação do estudante de Comunicação. A pesquisa se delineou como descritiva com abordagem quantitativa. O instrumento de coleta foi elaborado com base na revisão de literatura e aplicado com 270 egressos de comunicação de uma instituição no Sul do Brasil. Os resultados apontaram que os trabalhos realizados pelos docentes foram os que mais contribuíram para sua formação.  As disciplinas de redação foram as que obtiveram maior média de contribuição na percepção dos egressos: Redação Jornalística: 5 e Redação Publicitaria: 5,24 O estudo também apresenta os sentimentos dos alunos e perfil dos egressos em relação ao curso e a instituição.


Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, V. et al. Pesquisa para reformulação do currículo do curso de Publicidade e Propaganda. Ntercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação Xxiii Prêmio Expocom 2016: Exposição da Pesquisa Experimental em Comunicação, Fortaleza - Ce, p.01-10, 01 jan. 2016.

BRASIL. Decreto nº 13.168 de 6 de outubro 2015. Dispõe sobre as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lex: Coletânea de Legislação e Jurisprudência, Brasília, cap. IV, Art. 4344, 2015. Legislação Federal e marginalia.

BRASKAMP, L. A.; ORY, J. C. Assessing faculty work: Enhancing individual and institutional performance. San Francisco, CA: Jossey-Bass. 1994.

BYRNE, R. Web based learning versus traditional management development methods. Singapore Management Review, v. 24, n. 2, p. 59-68, 2002.

CRESWELL, J. W. Projeto de Pesquisa: método qualitativo, quantitativo e misto. 2.ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

HABERMAS, J. Teoria da Ação Comunicativa. Boston: Beacon Press, 1981.

KNOWLES, M. S. The modern practice of adult education: from pedagogy to andragogy. Cambridge Adult Education. 1980.

LINDEMAN, E. C. The meaning of Adult Education. New Republic, INC. New York, 1926.

MELCHIOR, Maria Celina. Da avaliação dos saberes à construção de competências. 2 ed. Novo Hamburgo: Premier, 2008.

MEZIROW, J. Transformative Learning: theory to practice. New Directions For Adult And Continuing Education, n. 74, Summer, 1997.

PINSONNEAULT, A; KRAEMER, K. Survey research methodology in Management Information Systems: As Assessment. Journal of Management Information Systems, Automm. 1993.

ROCHA, A. E.; DALFOVO, M. S.; VERDINELLI, M. A. Os índices EGC, Enade e Capes dos cursos de Administração. Gestao Universitária na América Latina - GUAL,

Florianópolis, v. 6, n. 1, nov. 2009.

SANTOS, L. F. B. P. dos.; LAROS, J. A. Avaliação da prática pedagógica do professor no Ensino Superior. Estudos em Avaliação Educacional, v. 18, n. 36 abr./jun. p. 75-96. 2007.

SANTOS, S. C.. O processo de ensino-aprendizagem e a relação professor-aluno: aplicação dos sete princípios para a boa prática na educação de ensino superior. Caderno de pesquisas em administração. São Paulo, v. 08, n °1, jan/mar. 2001.

SILVA, A. B. Como os Gerentes Aprendem? São Paulo: Saraiva, 2009.

SOUZA, S.; REINERT, J. Avaliação de um curso de ensino superior através da satisfação/insatisfação do docente. Campinas; Sorocaba: Gestao Universitária na América Latina, v. 15, n. 1, p. 159 – 176, mar. 2010.

TAYLOR, E. W. The theory and practice of transformative learning: a critical review. In: Information series, n. 374. Institution Eric Clearinghouse on Adult, Career and Vocational

Education, Columbus, Ohio State University, 1998.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.