Diálogos entre a literatura e a publicidade de Wes Anderson

Natália Lago Adams

Resumo


O artigo apresenta a relação intertextual entre a literatura e a linguagem cinematográfica de Wes Anderson em seus filmes autorais e publicitários, analisando a série de anúncios ‘Prada Candy L’eau’ (2013), escrita dirigida pelo cineasta em parceria com Roman Coppola para anunciar o perfume homônimo da grife Prada. Identifica-se nos três curtas-metragens os elementos de seu cinema autoral atinentes à literatura: a referência ao romance ‘Jules et Jim’ (Henri-Pierre Roché, 1953) e a escolha da serialização e do storytelling na construção narrativa do produto publicitário audiovisual em questão. O estudo objetiva destacar de que forma estes elementos servem como estratégia de campanha publicitária, bem como apelo ao consumo. Conclui-se que, por meio das interfaces entre a publicidade, o cinema de Anderson e a literatura, o elemento persuasivo de ‘Prada Candy L’eau’ difere daquele presente nos comerciais de perfume tradicionais.

Texto completo:

PDF

Referências


ADAMS, Natália Lago. A linguagem cinematográfica de Wes Anderson em filmes publicitários. 2016. 124 f. Monografia de conclusão de curso (Graduação em Comunicação Social – Hab. Publicidade e Propaganda), Escola de Comunicação e Negócios da Universidade Positivo, Curitiba. 2016.

CARRASCOZA, João Anzanello. Razão e sensibilidade no texto publicitário. 2ª ed. São Paulo: Futura, 2007.

COVALESKI, Rogério Luiz. O processo de hibridização da publicidade: entreter e persuadir para interagir e compartilhar. 2010. 176 f. Tese (Doutorado em Comunicação e Semiótica), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 28 de abril de 2018.

DONATON, Scott. Publicidade + Entretenimento: por que estas duas indústrias precisam se unir para garantir a sobrevivência mútua. São Paulo: Cultrix, 2007.

FIORIN, José Luiz. Polifonia Textual e Discursiva. In: BARROS, D.L.P. de; FIORIN, J.L. (orgs.). Dialogismo, polifonia, intertextualidade: Em torno de Bakhtin. 2ª ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2003.

GARCIA, Maria José Ladeira. A mise en abyme em Inventário do Inútil de Elias José. Verbo de Minas, Juiz de Fora, v. 7, n. 13, jan/jun, p. 127-138. 2008. Disponível em: . Acesso em: 28 de abril de 2018.

KRISTEVA, Júlia. Introdução à seminálise. São Paulo: Debates, 1969.

LIPOVETSKY. Gilles; SERROY, Jean. A estetização do mundo: viver na era do capitalismo artista. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.