A crítica de Ely Azeredo na Tribuna da Imprensa sobre os primeiros filmes do Cinema Novo

Luís Geraldo Rocha

Resumo


O presente artigo apresenta uma investigação acerca dos métodos de análise e argumentação presentes no trabalho do crítico de cinema Ely Azeredo sobre os filmes que representaram o surgimento do Cinema Novo, publicados na Tribuna da Imprensa. O objetivo deste estudo foi encontrar respostas para o posicionamento negativo do crítico, a este movimento que marcou a modernização da cinematografia brasileira. O corpus deste estudo é composto por três críticas sobre Rio, 40 Graus, uma crítica sobre Rio, Zona Norte, ambos dirigidos por Nelson Pereira dos Santos, e um artigo sobre Porto das Caixas, de Paulo César Saraceni. Os textos apresentam opiniões divergentes de Ely Azeredo sobre a obra em questão, contrastando com o julgamento hegemônico de sua época, que articulava-se de maneira a exaltar as inovações narrativas, técnicas e temáticas que tais obras possuíam.


Texto completo:

PDF

Referências


AZEREDO, Ely. A decepção de “Rio, 40 Graus”. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, p.04, 13 de março de 1956.

______. “Rio, 40 Graus”. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, p.4, 14 de março de 1956.

______. Ainda “Rio, 40 Graus”. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, p.4, 15 de março de 1956.

______. Dois filmes nacionais. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, p.4, 23 e 24 de novembro de 1957.

______. “Explicações” agravam um filme indefensável. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, p.8, 1º out. 1963.

DUELLES, John W. F. Carlos Lacerda: a vida de um lutador. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1992.

LEITE, Sidney Ferreira. Cinema brasileiro: das origens à retomada. São Paulo: Editora Perseu Abramo, 2005.

REIS FILHO, Daniel Aarão. Entre reforma e revolução: a trajetória do Partido Comunista no Brasil entre 1946 e 1964. In: REIS FILHO, Daniel Aarão et RIDENTI, Marcelo (orgs.). História do marxismo no Brasil Volume V: Partidos e organizações dos anos 20 aos 60.

SALEM, Helena. Nelson Pereira dos Santos: o sonho possível do cinema brasileiro. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1987.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.